É a área da odontologia que estuda o crescimento e desenvolvimento da face, bem como o desenvolvimento das dentições decídua (de leite), mista e permanente e seus desvios de normalidade, prevenindo, interceptando e corrigindo as más oclusões dentárias.

Por que realizar o tratamento?

A função principal do tratamento ortodôntico é restabelecer a oclusão dentária (perfeito engrenamento dos dentes superiores com os inferiores), que é fundamental para a correta mastigação e, consequentemente, a adequada nutrição e saúde bucal. Com o restabelecimento da oclusão, evitam-se problemas relativos à respiração, deglutição, fala e articulação temporomandibular (ATM).

Não existe idade máxima para a realização de tratamento ortodôntico, embora no paciente adulto alguns cuidados especiais devam ser tomados, principalmente em relação aos tecidos de suporte dos dentes, que podem chegar a contraindicar o tratamento (problemas periodontais).

Como será feito o tratamento?

O tratamento ortodôntico, no início, causa certa sensibilidade, principalmente na fase de colocação do aparelho. Posteriormente, é possível existir certo desconforto cerca de 24 a 48 horas após os ajustes praticados pelo ortodontista. O paciente deve seguir todas as instruções dadas, principalmente quanto ao aspecto de higiene bucal, pois os detritos podem causar problemas. Existem três tipos básicos de ortodontia quando classificamos quanto o momento da abordagem, a ortodontia preventiva, a interceptativa e a corretiva.

A Ortodontia Preventiva, se baseia na prevenção de possíveis problemas que podem ser percebidos em crianças durante o seu crescimento ósseo facial e durante o começo das trocas dos dentinhos de leite. Nessa ortodontia é comum usarmos aparelhos móveis.

A Ortodontia Interceptativa é uma ortodontia focada em “parar” a formação do problema. O ortodontista percebe que a criança ou adolescente está começando a desenvolver um problema e pode planejar uma forma de interceptar o problema para que ele não se instale por completo. Esses problemas podem ser de posicionamento de dentes e bases ósseas, problemas respiratórios e de posicionamento lingual ou labial inadequado. Nessa ortodontia podemos usar tanto aparelhos móveis como já é possível a instalação de aparelhos fixos na parte anterior do arco.

A Ortodontia Corretiva é a mais comumente vista e é aquela que foca na correção do problema já instalado. Geralmente fazemos ortodontia corretiva em adultos ou em adolescentes que já terminaram a curva de crescimento (16-18 anos). Com a maloclusão já instalada o ortodontista vai ter muito mais trabalho para reverter o problema. Muitas vezes é necessário usar algumas técnicas mais invasivas como procedimentos cirúrgicos extensos (Ex:cirurgia ortognática) ou até extrações de dentes para criação de um espaço para trabalho.

Nessa ortodontia usamos, na maioria das vezes, aparelhos fixos e ainda alguns aparelhos acessórios. Podemos também fazer uso de alinhadores transparentes em alguns casos mais simples. Esses alinhadores são estéticos e móveis, porém é necessário um investimento financeiro maior visto o benefício que é ser tratado com eles.